K-Food: O Que É A Comida Coreana? Sua Popularidade E Benefícios

comida coreana

Você já comeu comida coreana? Ao que a Hallyu, a Onda Coreana, vai se popularizando, os amantes da K-food (do inglês, korean food, “comida coreana”) vêm crescendo no mundo todo.

Os restaurantes coreanos têm se multiplicado nos Estados Unidos, no Japão e até mesmo no Brasil. Indo além, pratos como kimchi (김치), bibimbap (비빔밥) e bulgogui (불고기)  já não são tão estranhos aos nossos paladares. 

Mas, afinal, quais são as comidas coreanas e por que essa culinária está se tornando a queridinha de tantas pessoas?

Como é a comida coreana? 

A comida coreana é aquela que tem origem nas Coreias do Sul e do Norte, composta tanto por pratos tradicionais quanto por outros mais modernos. Sua característica principal é a abundância de vegetais, embora frutos do mar frescos e temperos de gostos únicos, como o gochujang (고추장), também atraiam a atenção. 

Normalmente, uma refeição coreana simples é composta por, pelo menos, uma porção de arroz, uma sopa e vários banchans (반찬), que são os acompanhamentos. Entre eles, um – ou mais! –  tipos de kimchi não pode faltar. 

Essa culinária faz bem para a saúde?

Um dos principais motivos para fama da k-food é o fato dela ser bem saudável. Os legumes são uma ótima fonte de vitaminas e a pimenta, que faz parte do tempero de grande parte das comidas, acelera o metabolismo e ajuda na perda de peso. 

O processo de fermentação de alguns pratos, ainda, produz bactérias boas, que ajudam no combate ao câncer e na prevenção de anemia, acidente vascular cerebral (AVC), entre outros. 

Comida coreana significa mesa farta!

Outro aspecto interessante é o visual da comida coreana. As cores presentes na mesa são, tradicionalmente, muito importantes. Isso faz com que a comida seja colorida e, portanto, muito variada. Indo além, em refeições especiais, o número de banchans é maior e os pequenos pratinhos de comidas diferentes criam uma mesa farta e cheia de sabores.

Toda comida coreana é apimentada?

Ainda assim, quem gosta dessa culinária  lembra do vermelho forte de pratos como tteokbokki (떡볶이) , kimchijjigae (김치찌개) ou dakgalbi (닭갈비). 

Bom, vamos ser sinceros,  não é sem motivo que a comida coreana tem a fama de  apimentada, mas você sabia que a pimenta só foi introduzida na Coreia no séc. XVI? A presença de gochujang  e gochugaru (고춧가루), pasta fermentada e pó de pimenta, respectivamente, cria aparências como essa: 

receita tteokbokki

Mas, embora muitas comidas coreanas sejam bem apimentadas, existem outras opções para quem gosta de um sabor mais suave. Pratos como o bulgogui, o doenjangjjigae (된장찌개), frango frito no estilo coreano e manduguk (만둣국), além de não serem picantes, são extremamente saborosos. 

Sabor peculiar? A fermentação na culinária coreana

 Quanto ao preparo, um dos principais processos usados na comida coreana é a fermentação. Fermentar um ingrediente é deixá-lo por um tempo em um líquido ou tempero que tem base de vinagre, óleo ou sal. 

Isso preserva o alimento para consumo, mas muda seu gosto e faz com que bactérias boas entrem nele, tornando a comida ainda mais saudável. Esse é o caso do kimchi, mas também de temperos como o doenjang (된장), o gochujang e até mesmo o molho de soja, que todos já conhecemos bem.

As carnes na culinária coreana 

Como uma península, as Coreias formam um território cercado de mar. Isso contribui para a abundância de peixes, algas e frutos do mar, que são preparados em sopas, assados, servidos crus ou até transformados em tempero como o saeujot (새우젓), camarão fermentado. 

Nas regiões mais ao sul, por exemplo, como essa produção de alimentos do mar é muito grande, é comum adicionar pedaços de frutos do mar e peixe ao kimchi. A carne que fermenta é cozida naturalmente e – dizem –  tem um gosto único.

Entretanto, outros tipos de carne também são consumidos na península: carne suína, bovina, de frango e cordeiro são particularmente apreciadas. A carne de boi, ainda, é considerada uma comida especial e, portanto, tem preço mais elevado e é frequentemente consumida em ocasiões especiais. 

Os coreanos não gostam de doces? A sobremesa na cultura coreana

Como em outros países asiáticos, os coreanos não tem a tradição de comer doces como sobremesa após a refeição. Entretanto, isso não quer dizer que doces não eram produzidos e apreciados na península. 

As sobremesas eram consumidas entre as refeições e, especialmente, em ocasiões especiais. Eles são muito variados em sabor, cor, e forma, mas podemos citar: o tteok (떡), bolinho de arroz; o bingsoo (빙수), gelo ralado com várias coberturas, sendo doce de feijão a mais comum; e o hangwa (항와), que lembra um biscoito.

Gostaram de saber mais sobre a comida coreana? E qual é sua comida favorita? Contem para a gente nos comentários! 🙂

57 comentários em “K-Food: O Que É A Comida Coreana? Sua Popularidade E Benefícios”

  1. Pingback: Tradições Coreanas: Saiba sobre Arte, Música e Turismo da Coreia!

  2. Pingback: Receita de Bibimbap: Passo a Passo para Fazer o Risoto Coreano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.